NOTA DE REPÚDIO

Rede de Proteção e Resistência ao Genocídio

Racismo e Tortura: Foi o que aconteceu com o adolescente de 17 anos, no Ricoy da Vila Joaniza, localizado na Avenida Yervant Kissajikian.

A Rede de Proteção e Resistência ao Genocídio junto com entidades e a sociedade civil vem, por meio desta, manifestar repúdio total à tortura cometida por 02 seguranças do supermercado Ricoy, no mês de agosto de 2019, quando o jovem negro, reciclador de materiais recicláveis e atualmente em situação de rua, foi acusado de supostamente pego chocolate do supermercado Ricoy.
Por causa dessa suposta acusação, foi levado para uma sala, onde tiraram suas roupas, ele foi amordaçado e chicoteado pelos 02 seguranças. E toda a ação foi filmada e disparada nas redes sociais.
Manifestação do racismo estrutural da sociedade, esse ato de extrema violência contra um jovem negro é motivo de repúdio e revolta.
Lei da Chibata nunca mais. Tortura nunca mais. Racismo nunca mais.
A Rede de proteção contra do genocídio da população negra, acredita na luta cotidiana para dar visibilidade e combater as injustiças e violências que ocorrem nas periferias de São Paulo, na construção do poder popular.
E de acordo com a nossa Constituição ninguém será submetido a tortura e racismo é crime.
Manifestamos, ainda, nossa solidariedade aos familiares e amigos e repudiamos veementemente o silêncio das autoridades sobre a investigação e a impunidades dos seguranças e do supermercado Ricoy.
Exigimos justiça já, respostas a investigação e boicote às compras nesta rede de supermercados.

CHEGA DE VIOLENCIA – CHEGA DE RACISMO

Para fortalecer a luta, impedir ações como essa e com solidariedade aos familiares e sociedade envolvida, convocamos para o ATO QUE SERÁ DIA 07/09/2019, EM FRENTE AO SUPERMERCADO RICOY DA AVENIDA YERVANT KISSAJIKIAN. Endereço atualizado do ato: Av. Yervant Kissajikian, nº 3.384 – Mercado Ricoy
Entre a Rua José Alves Fidalgo e Rua Antônio Pedroso de Oliveira

Rede de Proteção e Resistência ao Genocídio.

São Paulo, 03 de setembro de 2019.

Assinam:
1. Instituto Marielle Franco;
2. Uneafro
3. Rede Quilombação.
4. Pagode Na Disciplina Jd. Miriam.
5. Centro Popular de Defesa dos Direitos Humanos Frei Tito de Alencar Lima.
6. Coalizão Negra por Direitos.
7. SDDH.
8. Associação Brasileira de Pesquisadores Negros – ABPN.
9. Afirmação Rede de Cursinhos Populares – ARCEP.
10. Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará- CEDENPA.
11. Geledés – Instituto da Mulher Negra.
12. Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades – CEERT.
13. Coletivo Imargem.
14. Educafro.
15. Escola de Cidadania da Cidade Ademar e Pedreira.
16. Coletivo Sapato Preto.
17. L Negras Amazônidas.
18. CONEN Coordenação Nacional de Entidades Negras.
19. Rede nacional da promoção e Controle da saúde das LBTs Negras.
20. Rede Sapatà.
21. Comitê de Luta por Direitos Cidade Ademar e Pedreira.
22. Núcleo Aparecida Jerônimo – Consulta Popular.
23. Fórum de Defesa e Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente Cidade Ademar e Pedreira.
24. Ilê Asé Oya Mesan Orun.
25. JAMAC – Jardim Miriam Arte Clube.
26. Kilombagem.
27. Sarau do Vinil.
28. ArteFato.
29. Mandala Quilombo
30. Deputada Estadual Erica Malunguinho.
31. Toco Filmes.
32. Mandata Bancada Ativista
33. Fórum em Defesa da Vida.
34. NPR – Movimento Nacional de População de Rua.
35. Fórum de Cultura Cidade Ademar e Pedreira.
36. CEERT Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades.
37. Cedenpa – Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará.
38. Fórum de Cultura da Zona Leste – FCZL.
39. Sarau Militantes.
40. Fórum Estadual de Defesa dos Direitos Humanos de Criança e Adolescente.
41. Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs).
42. Frente Favela Brasil.
43. NFNB.
44. Instituto de Mulheres Negras (IMUNE).
45. Instituto Negra do Ceará.
46. Marcha das Mulheres Negras de São Paulo.
47. Curumins da Ademar.
48. Diademais Arte.
49. Sindicato dos funcionários públicos de Diadema – Sindema.
50. Comunidade Cultural Quilombaque.
51. Ile Oba Ase Ogodo.
52. Conselho Político de Lideranças de terreiro da Ocupação Cultural Jeholu.
53. Mulheres de Asé de São Paulo.
54. Mulheres de Asé do Brasil.
55. Comissão de Direitos Humanos da OAB/SP.
56. Associação Nacional da Advocacia Negra. Organização Anarquista Socialismo Libertário – OASL.
57. Agência Solano Trindade.
58. Grupo de Capoeira Cativeiro.
59. Projeto Futuros do Bairro.
60. Frente Povo Sem Medo.
61. Associação Rede Rua.
62. Rosanegra Ação Direta e Futebol.
63. SCFV de Olho no Futuro.
64. Bocada Forte Hip Hop.
65. União de Negras e Negros Pela Igualdade – UNEGRO.Associação Cultural
66. Educacional Movimento Hip Hop Revolucionário – MH2R.
67. Coletivo Nacional de Entidades Negras – CEN SP.
68. Nova Frente Negra Brasileira – NFNB.
69. Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Francisco Morato – CMPDCNFM.
70. Comissão Pela Igualdade Racial da OAB Francisco Morato.
71. Escritório Modelo Dom Paulo Evaristo Arns da PUCSP.
72. Projeto Cidadãos Cantantes.
73. Unidade Popular pelo Socialismo.
74. Movimento de luta nos Bairros Vilas e Favelas (MLB).
75. Movimento de Mulheres Olga Benário.
76. União da Juventude e Revelia (UJR).
77. Quilombo Raça e Classe
78. Comitê Mestre Moa.
79. Quilombo Brasil.
80. O3 Hip Hop Militante.
81. PSTU.
82. CAAF/Unifesp.
83. Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos da Ditadura.
84. Movimento Independente das Mães de Maio.
85. Instituto Luiz Gama.
86. MNU.
87. Coletivo de Juventude Negras Cara Preta.
88. PVNC.
89. ONDJANGO – Estudos Afro-Brasileiros.
90. Projeto cultural e social Jardim Ruyce.
91. Instituto de Direitos Humanos Objetivando Direito.
92. Espaço Axé
93. Casa Neon Cunha.
94. Mães de Maio da Leste.
95. Sarau na Quebrada.
96. Somando na Quebrada.
97. Composição Urbana.
98. Coletivo Advogadas Negras Esperança Garcia.
99. Pastoral Operária Metropolitana de São Paulo.
100. Pastoral do Povo da Rua da Arquidiocese de São Paulo.
101. AGANJU – Afro Gabinete de Articulação Institucional e Jurídica.
102. PDRR – Programa Direito e Relações Raciais.
103. Quilombo Invisível.
104. Coletivo DiadeNega.
105. Conselho Regional de Psicologia: CRP SP.
106. INTECAB – SP Instituto Nacional da Tradição e Cultura Afro Brasileira.
107. CNAB – Congresso Nacional Afro Brasileiro.
108. Comissões da Verdade sobre a Escravidão Negra no Brasil na OAB Campinas.
109. Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OAB Campinas.
110. Margem Entretenimento
111. CEN Coletivo de Entidades Negras.
112. Núcleo Negro de Resistência e Articulações ÌPÓRÍ.
113. CONESC – Conselho da Comunidade negra de São Caetano.
114. Advogado Naves Ferraz de Mogi das Cruzes.
115. UBM/União Brasileira de Mulheres.
116. Promotoras Legais Populares
117. União de Mulheres de São Paulo.
118. UBM/ União Brasileira de Mulheres da Cidade de São Paulo.
119. Associação dos Moradores do Jardim Helian.
120. Wappi Brasil.
121. Fórum Municipal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes SP.
122. Fundação Projeto Travessia.
123. Fórum Regional de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente – Sé.
124. Coletivo Anarco Feminista Insubmissas – CAFI.
125. Núcleo de Estudos Libertário Carlo Aldegheri – NELCA.
126. IBCCRIM.
127. Fórum de Combate ao Racismo de SBC.
128. SinTUFABC – Sindicato dos Trabalhadores Técnicos administrativos da UFABC.
129. Bloco do Beco.
130. Coletivo Primavera Socialista (PSOL).
131. Renata Gonçalves – Unifesp Baixada Santista.
132. Deivison Nkosi Faustino – Unifesp Baixada Santista.
133. Núcleo Reflexos de Palmares – Unifesp Baixada Santista.
134. Núcleo Heleieth Saffioti – Unifesp Baixada Santista.
135. ALMEM/Associação de Luta por Moradia Estrela da Manhã.
136. Rede Justiça Criminal – Compõe a Rede: Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESEC), Conectas Direitos Humanos, Instituto Terra Trabalho e Cidadania (ITTC), Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD), Instituto Sou da Paz, Justiça Global, Instituto de Defensores de Direitos Humanos (DDH), Gabinete de Assistência Jurídica às Organizações Popular (GAJOP).
137. Ong Novos Herdeiros Humanísticos.
138. Associação dos Educadores e Educadoras Sociais do Estado de São Paulo.
139. CEDH – Centro de Educação em Direitos Humanos da Unifesp-BS.
140. Associação de Profissionais do Sexo Mulheres Guerreiras- unid@s pelo respeito.
141. Rede Beija-flor de pequenas bibliotecas vivas de Santo André.
142. UNEafro- Núcleo Carolina Maria de Jesus.
143. Caaf Unifesp.
144. Comissão de Familiares de Mortos e desaparecidos políticos da Ditadura.
145. Organização Anarquista Socialista Liberal.
146. Escola de Cidadania e Direitos Humanos ZO.
147. CEDECA Limeira.
148. Associação Projetos Integrados de Desenvolvimento Sustentável SP.
149. Fórum de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes FOCA – Butantã.
150. Rede Ubuntu de Educação Popular – RUEP.
151. Rede de Escolas de Cidadania do Estado de São Paulo.
152. Sarau Salva Osasco.
153. Rede Auê da Viela.
154. AVIB – Associação de Voluntários Integrados do Brasil.
155. Rede Urbana de Ações Socioculturais.
156. Rede de Enfrentamento a Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes da Capela do Socorro e Parelheiros.
157. Instituto Pro Bono.
158. AfroPaz Bertioga.
159. NNUG – Núcleo Negro Unifesph Guarulhos.
160. Associação de Promotoras Legais Populares – Cida da Terra / Campinas e região.
161. ANAN – Associação Nacional da Advocacia Negra.
162. A Conectas Direitos Humanos.
163. Bloco AFRO Expresso Baianista.(ABC Paulista)
164. AFRO Escola- Santo André
165. DVMUR Instituto de Oportunidade.
166. Núcleo Negro de Pesquisa e Criação (NNPC)
167. AMPARAR
168. Alma Preta Jornalismo
169. Su Alma Preta
170. Educafro Brasil
171. Coletivo Ondjango de Cidadania e Africanidades
172. Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial de Cubatão/SP
173. Unegro Baixada Santista
174. União de Mulheres da Zona Noroeste.
175. Produção Preta
176. CREAs Cidade Ademar
177. Fórum De Mulheres Negras De Mato Grosso
178. Associação brasileira de psicologia social – ABRAPSO
179. AVIB – Associação de Voluntários Integrados no Brasil
180. Cordão Carnavalesco Boca de Serebesqué
181. Coletivo Paulo Freire
182. Comitê Mestre Moa do Capao
183. Instituto AMMA Psique
184. União dos Movimentos de Moradia
185. Movimento de Moradia Missionária e Cidade Ademar
186. Apan- Associação dxs profissionais do Audiovisual Negro
187. Resistência/ PSOL.
188. Sarau da Quebrada.
189. CEDECA SÉ
190. Fórum de Promoção da Igualdade Racial de Diadema Benedita da Silva CONAQ Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas.
191. Samba da Maria Cursi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *